Site responsivo x Google

Site responsivo x Google

Saiba por que transformar o seu site em responsivo e o que você perde ao não fazê-lo

 

Após o anúncio da realização de mudanças no seu ranking de buscas, a Google, logo depois, anunciou que sites não responsivos deixarão de aparecer em prioridade no ranking de resultados de busca. Por mais que o seu conteúdo seja relevante e o seu site se encontrasse localizado em boas posições, se ele não for responsivo, deixará de ter a relevância que a Google procura ao elencar os resultados de buscas.

 

Todos sabemos que o que a Google faz acaba influenciando muito a forma como os sites e seus conteúdos se modelam, e dessa vez não será diferente. Mas o que realmente é um site responsivo, como saber se o seu site se encaixa nestes parâmetros e, se a resposta for negativa, como transformar o seu site em um site responsivo, subindo posições no ranking dos resultados de buscas?

 

O que são os sites responsivos?

 

Até pouco tempo atrás, era necessário criar versões separadas para um mesmo endereço de web se você quisesse que ele funcionasse plenamente, tanto nos navegadores de computador como nos de smartphones e tablets. Hoje isso já não é mais necessário, graças a avanços tecnológicos no campo da criação de sites.

 

Este novo tipo de design de sites é o que chamamos de site responsivo. Ele se adapta automaticamente ao dispositivo através do qual está sendo acessado, tornando a experiência de navegação muito mais confortável ao usuário.

 

Por exemplo: se você acessa o site no navegador, consegue aproveitar todas as suas funcionalidades. Se ele não for responsivo, o conforto do acesso e o número de ferramentas diminuem ao acessá-lo através de outros dispositivos que não um computador pessoal.

 

Nosso E-book Gratuito Explica com detalhes os 5 Passos Para Aumentar As Suas Vendas Usando a Internet! Faça O download Agora >>FAÇA O DOWNLOAD AQUI<<

site-responsivo-Dorcas

 

A Google e os sites responsivos

Por saber disso e querer proporcionar a melhor experiência de navegação para os seus usuários, a Google passou a priorizar, nos rankings de busca, resultados cujos sites sejam responsivos. Ao adaptar o seu site para este mecanismo, você garante que não cairá posições no ranking de relevância dos resultados de busca, uma vez que a empresa transformou este fator em um dos elencadores de relevância que fazem parte do seu algoritmo de buscas.

 

Como saber se o meu site é responsivo?

Isso não requer um trabalho árduo. Para facilitar os produtores de conteúdo e gerenciadores de sites, a própria Google disponibiliza uma ferramenta online que testa se o seu site é responsivo ou não. Basta que você coloque a URL do seu site no espaço indicado e ele lhe dará um resultado, dizendo se o seu site é ou não responsivo. Para utilizar a ferramenta, acesse o link: https://www.google.com/webmasters/tools/mobile-friendly/

 

Se o resultado for negativo e o seu site não estiver dentro do mundo dos sites responsivos, é importante que você pense seriamente em realizar uma atualização no mesmo. Se você perde posições no ranking de buscas da Google, isso pode acabar afetando o seu site ou negócio negativamente, diminuindo o número de acessos e, consequentemente, o número de conversões que você realiza e o dinheiro que entra em caixa.

 

Se você pretende criar um site novo, o serviço de torná-lo responsivo geralmente não é cobrado adicionalmente. Dependendo do design que você escolher, a responsividade já está incluída no mesmo. Se o seu site é antigo e não responsivo, não perca mais tempo – e talvez dinheiro – deixando que continue assim.

 

Ao atualizar o seu site, você consegue uma posição melhor no ranking de resultados de pesquisa e garante os seus acessos, impedindo que o algoritmo de busca do Google tire suas posições. Para isso, contate o desenvolvedor do seu site ou alguém novo, de confiança, que possa fazer a alteração. Você não vai se arrepender.

 

Solicite agora uma análise GRATUITA dos nossos especialistas > CLIQUE AQUI

Eu indico você ler também:

Compartilhe
Share On Twitter
Share On Linkdin
Share On Youtube

Deixe um Comentário Sobre este artigo!