Site na primeira página do Google: 12 pilares fundamentais

Site na primeira página do Google: 12 pilares fundamentais

Ter um site na primeira página do Google de forma orgânica não é tarefa fácil. Para isso, seu site precisa estar alinhado às exigências e diretrizes do Google, ou você acabará virando escravo dos links patrocinados. Descubra neste artigo os 12 pilares que provavelmente colocará seu site no topo!

 

Desde a criação das ferramentas de buscas, também iniciou uma corrida frenética por estar nas primeiras posições sem ter um link patrocinado, e isto se mantém até hoje e claro com muito mais força.

 

pagina-inicial-google-ainda-no-inicio-versoa-beta-min

Página inicial do Google ainda em fase Beta.

 

As pessoas já sabem a grande e verdadeira importância de ter o seu site na primeira página do Google, isso porque o Google é o detentor de 95% das buscas no mundo.

Uma grande parte destes também sabem que para estar no topo dos resultados das pesquisas precisam basicamente de um fator: Verba para investimento em links patrocinados. Muitos até sabem que podem estar nas primeiras posições sem pagar nada só não sabem o que fazer para que isto ocorra.

O que eu posso garantir para você é que apenas um site bonito não dará este resultado. Para tal objetivo é necessário no mínimo que seu site esteja construído sobre 12 pilares.

Neste artigo, buscarei usar termos não técnicos e também sempre exemplificando casos reais e do dia a dia.

Quero conversar diretamente com você Administrador, Empreendedor, Gerente de Marketing, Analista de Marketing, Desenvolver de sites e outros cargos e profissões que buscam por este resultado.

Se você está lendo este artigo, provavelmente já leu outros a respeito deste mesmo tema, e talvez ainda esteja buscando por isso, pois o resultado ainda não chegou, estou certo?

Você já deve ter aplicado várias e várias alterações em seu site, ter adquirido ferramentas e até mesmo ter pago alguém para tentar isso.

Eu tenho certeza que se você aplicar corretamente estes 12 pilares em seu site, e muito provável que o resultado aconteça!

De nenhuma maneira quero aqui trazer falsas promessas na conquista deste objetivo, por isso eu adianto a você que para conseguir qualquer resultado, estes 12 pilares precisam ser seguidos a risca e com muita atenção.

Os 12 pilares não estarão citados por prioridade ou relevância, e sim por uma ordem didática e que facilite o seu entendimento.

Preparado?

Vamos lá então!

 

Site na primeira página do Google: 12 pilares fundamentais

 

#PILAR 1: DOMÍNIO

Assim como escolher um nome para o seu filho, escolher um domínio adequado não é fácil. Ele será a porta de entrada do seu negócio pela internet. E não basta ser um nome aleatório. Para sua URL ser ranqueada nas posições de cima, nada melhor do que ter nela a palavra chave do seu negócio. É por ele que o Google começa a avaliação do seu ranckeamento para iniciar sua indexação. Você já procurou algo no Google e apareceu um site com a exata pesquisa que você fez? Comece a prestar atenção e veja como isso é comum.

Nem sempre o domínio ideal está disponível, alguém já está usando ou comprou para garantir a propriedade e ainda não usou.  Uma dica:  Nunca use hífen, se aquela URL já está em uso, use a sua criatividade e pense em outra.

Outra dica importante é não se alongar demais no nome escolhido, use até quatro palavras, para que o usuário memorize facilmente o seu domínio e não esqueça de usar terminações fortes ( se você é brasileiro e seu negócio tem maior visibilidade aqui, opte pelo .com.br, assim facilitará as buscas pelo seu site por pessoas que também moram no Brasil e isso ajudará a melhor a performance do seu site no âmbito nacional. Quer maior abrangência? Tudo bem, a terminação .com é  mundialmente usada e permite um melhor ranckeamento global.

 

Qual o melhor site para registrar meus domínios?

Para adquirir um domínio .com.br, eu aconselho a registrá-lo diretamente no site da registro.br. Para adquirir outras terminações como, .net, .com, eu indico a RedeHost, que tem um preço ótimo é o painel de administração é bem fácil de manusear.

 

site-registro.br-print-min

Site para registrar domínio .com.br e terminações em br

 

site-rede-host.registro-min

Site para registro de domínios .com e outros.

 

 

Se o nome de domínio escolhido estiver disponível nas terminações .com e .com.br, opte em registrar os dois domínios. Use um como principal e o outro você cria um redirecionamento. O Google também prioriza sites com mais de um domínio registrado e analisa os redirecionamentos.

 

Escolha uma renovação mais longa

Preste atenção também no tempo de expiração do seu domínio. O Google tá de olho em domínios que só são renovados anualmente e dá mais ênfase àqueles que são pagos por vários anos.

 

#PILAR 2: HOSPEDAGEM (SERVIDOR)

Muitos ainda não entendem o que significa esse termo e qual a sua importância. Por que devo pagar hospedagem  se meus serviços são virtuais? Costumo então fazer a seguinte analogia: Você chega num hotel, mas esse hotel é diferente, nele você deixará hospedados seus textos, fotos, imagens e os códigos usados no seu site. Esse grande hotel é chamado de servidor e muita gente também o chama de nuvem, porque nada é armazenado em máquinas convencionais e sim em grandes portais nacionais e internacionais. Isso garante que suas informações não se percam ao passarem por alguma calamidade.

A escolha de um bom servidor, garante que seu site seja rápido e esteja sempre ou pelo menos na grande maioria das vezes disponível para os seus usuários. Nada pior do que aquele site que parece funcionar por uma manivela que as vezes emperra! As páginas não abrem, as imagens não carregam e o Google continua lá de olho no péssimo desempenho desse site lento.

Existe uma medição que acompanha o funcionamento do seu site e ela se chama Uptime, nessa ferramenta o Google mede quanto tempo o seu site permaneceu no ar, o ideal, claro, é que esse tempo bata os 100%.  Essa medição pode ser feita por algumas ferramentas, como por exemplo a Pingdom.

 

pingdom-teste-hospedagem-min

Ferramenta para medir o tempo que seu servidor fica no ar.

 

Como posso saber se o meu servidor é bom?

Atualmente a maioria dos sites são desenvolvidos em PHP. Isso gera uma preocupação a mais na hora de escolher um servidor.

Isso porque o servidor é responsável por “codificar” o PHP atráves de sistemas codificadores, como exemplo o APACHE.

Qualquer erro na configuração do seu servidor pode tornar seu site muito lento e muitas vezes inassessível.

Para saber como o seu site está no quesito velocidade, você pode fazer um teste rápido no GTMetrix. Este sistema lhe apresentará duas notas, aonde a primeira é a mais importante neste caso.

 

gtmetrix-teste-de-speed-server-site-min

Site para testar a velocidade e configurações de seu site e servidor.

 

Se seu servidor estiver bem configurado e tudo estiver dentro das principais exigências do Google, o sistema deve retornar uma nota no mínimo “C”.

Caso contrário, busque ajuda a um profissional experiente neste assunto, pois se trata de algo muito específico.

 

 

#PILAR 3: PROGRAMAÇÃO (PLATAFORMA)

Pode ser que não seja você quem vai meter a mão na massa e desenvolver seu próprio site, mas até para delegar, você precisa ter o mínimo de conhecimento, então lá vai…

As plataformas de desenvolvimento para o seu site podem ser, entre outras : WordPress, Joomla, Magento ou Ruby on Rails em 80% dos casos.

 

plataformas-mais-famosas-e-conhecidas-min

Plataformas mais famosas e conhecidas na atualidade.

 

Para permitir que cada vez mais pessoas pudessem trabalhar em seus sites, sem ficar reféns de programadores e técnicos, muitas ferramentas foram criadas ao longo destes anos de internet, as mais fundamentais delas são os Gerenciadores de Conteúdo, em inglês (Content Management System), que a partir de agora vamos chamar pelo apelido “CMS”.

Existe a melhor para ter ótimos resultados em SEO? Não! O que posso te falar é que existem plataformas que facilitam a vida de quem está desenvolvendo o site e as vezes o processo de otimização para mecanismos de busca também. Desenvolver no WordPress por exemplo, pode ser mais fácil, mas exige cuidado com o tema e servidor escolhido. As configurações e a subida de arquivos por essa plataforma são mais rápida, o que facilitará as publicações. Ela também permite que pessoas sem muito conhecimento técnico gerencie seu site em poucas horas de estudo.

As outras citadas exigem mais conhecimento em programação, mas posso citar aqui que assim como o WordPress, o Joomla é bastante utilizado em todo o mundo e tida como uma das melhores plataformas da atualidade, claro que, essas opiniões se tornam subjetivas quando perguntamos a preferência especifica de certos programadores.

A Dorcas possui 99% dos seus projetos em WordPress, e colhendo resultados plausíveis. Se você escolheu o WordPress, fez uma ótima escolha.

 

#PILAR 4: META DO SITE (OBJETIVO DA PÁGINA)

Não adianta você ter um trabalho enorme para melhorar a sua página se não tiver uma estratégia e principalmente um objetivo muito bem definido dela existir.

Vamos lá, vou te dar uma ajuda…

Você sabe que é muito provável que a pessoa que vai chegar na página em questão virá do Google, dependendo do que ela necessite, ela vai jogar a frase lá e vai ver os melhores resultados para satisfazer suas dúvidas.

 

site-sem-meta-e-site-com-meta-min

Diferença entre um site com uma meta clara e outro sem meta visível.

 

Conforme você pode ver na imagem, e notório a diferença de um site que possui uma meta e outro que não possui.

Sua página precisa ter um objetivo para existir… Ela serve para:

Vender cursos?

Fazer a inscrição em um evento?

Comprar ingressos?

Passar informações sobre determinado assunto?

Fazer uma cotação?

Vender produtos?

Analise essas perguntas e a deixe pronta para receber aquele usuário que está procurando por um determinado tópico. Dependendo do objetivo da página você terá de trocar tudo, afim de deixá-la preparada para aparecer no momento da busca de seu potencial cliente.

 

#PILAR 5: ESTRUTURAÇÃO DE PALAVRAS CHAVES

Um mito muito comum são números ideais de palavras-chaves, isso é muito relativo, se um site é pequeno terá menos palavras-chaves que um site grande. Tenha atenção ao idioma e região em que sua empresa está inserida. Isso fará que suas palavras-chaves sejam muito relacionadas nas buscas no Google.

Nosso E-book Gratuito Explica com detalhes os 5 Passos Para Aumentar As Suas Vendas Usando a Internet! Faça O download Agora >>FAÇA O DOWNLOAD AQUI<<

Uma observação importante é a ortografia usada pelos usuários. Nem sempre ele irá procurar o seu produto da maneira que ele é escrito. Como por exemplo: Sua loja vende laços e fitas em São Gonçalo – Rio de Janeiro, mas nem sempre alguém vai procurar exatamente assim, então é válido cadastrarem seu site palavras como: Laco, lacos, fita, e Sao Goncalo.  Você precisa pensar em como os usuários poderão te procurar.

Para isso você pode usar o Google Kewords Planers (Planejador de Palavras Chaves do Google). Neste sistema você conseguirá relatórios e estáticas de busca considerando vários filtros e por áreas Geográficas e demográficas.

 

Google-keywords-planer-planejador-de-palavras-chaves-do-google-print-min

Ferramenta de pesquisa de palavras chaves do Google.

 

Neste ponto, ter uma boa ideia da escolaridade de seu público alvo, assim como cenário de uso é uma excelente estratégia. Por isso é tão importante conhecer o perfil de seus compradores, o que costumamos chamar de BUYER PERSONA na área de marketing.

Nem 8 nem 80!  Tome cuidado para não ser muito específico, mas também para não ser muito abrangente. Se você tem carros usados para vender, uma boa palavra chave seria: “carro seminovo popular” isso porque apenas “carro” é muito abrangente e se você colocar algo como “carro popular seminovo preto 2013” já será restrito demais. Contudo, existem estudiosos que apostam nas palavras-chaves de calda longa, que são essas maiores e mais restritivas.  Na dúvida, use ambas, melhor pecar pelo excesso, nesse caso, do que pela falta de palavras que levem o usuário ao seu site.

 

 

#PILAR 6: LAYOUT (DESIGN)

Quando os  robôs  de busca vasculham o seu site, existem alguns elementos que podem atrapalhar seu ranqueamento, eles procuram um site de fácil acesso. Um ponto que pode atrapalhar muito é a imagem animada (como flashs, gifs, splashs…) que só deve ser usada quando for muito necessário.  Opte por mais elementos em HTML5 e menos Javascript, inclusive em anúncios, cuidado com eles, como a maioria usa o Javascript pode ser ruim para seu posicionamento.

A posição dos banners deve ser testada, nada que atrapalhe o usuário ler o conteúdo principal. Sabe aquele site que você entra e precisa ir muito para baixo ou voltar muito para cima porque tem tanto banner que termina atrapalhando a sua leitura? Então, tudo isso é analisado pelo Google. Tudo que atrapalhe o usuário consumir o que ele foi procurar no seu site, será mal avaliado pelo Google e taxado como um site não amigável! Resumindo, cuidado com o Layout de sua página.

 

Lembre-se também que o site obrigatoriamente deve ser responsivo. Não sabe o que é site responsivo ainda? Leia aqui!

 

#PILAR 7: OTIMIZAÇÃO DE IMAGENS

Sua imagem deve ser carregada junto com o resto do conteúdo, site que abre os textos e minutos depois abem as imagens, serão certamente mal posicionados pelo Google.

O nome que você dá a sua imagem é muito importante. Fuja das imagens chamadas “image.jpg” ou algum outro termo genérico. Sempre use o nome correspondente ao que ela mostra. Se você vai publicar seus laços para vender coloque nomes adequados, como “laco-vermelho.jpg” ou “ laco-rendado-branco.jpg”, nada de se alongar demais nesses nomes. Mas lembre-se da regra do 8 ou 80… seja sensível na hora de nomear suas imagens, três palavras adequadas no máximo já está de bom tamanho! Não esqueça de colocar textos ao redor das suas imagens sempre que possível, quanto mais estreita seja a relação entre a imagem e o contexto dela, melhor.

Além do título ou nome da sua imagem, verifique se o alt text está presente… Graças a esse recurso, texto alternativo, o Google consegue atribuir uma imagem ao nome que você estava procurando.  No Alt Text você descreve todos os componentes da sua imagem no código usado, já que os robôs não enxergam as figuras, é necessário traduzi-la para eles.

Resumindo: Dê sempre um nome/título às suas imagens bem como uma descrição dos elementos presentes nela.

 

Tamanho das imagens

O tamanho das imagens não impactam diretamente o ranckeamento do seu site, porém, imagens muito grandes são mais pesadas para serem carregadas pelo seu navegador, impactando diretamente o tempo de carregamento do seu site.

Carregar as imagens em tamanhos adequados é o ideal tanto para a velocidade do site quanto para espaço em disco no seu servidor.

Busque subir as imagens com no máximo 700kb, e com um tamanho máximo de 1000 px (pixels), e ainda com um resolução máxima de 96 dpi. É claro que isso depende muito de onde as imagens serão incluídas, em alguns casos elas terão de estar maior que 1000 px. Outra dica é, busque sempre o formato JPG e use menos PNG.

Antes de carregar suas imagens, eu sugiro que passe elas em algum destes sites: Optmizilla ou Compressjpj.

 

 

#PILAR 8: CONTEÚDO RELEVANTE

Você já ouviu a frase: “Conteúdo é rei”? Ele é mesmo, não duvide disso e nem subestime o seu conteúdo. Um site com um bom conteúdo é mais visitado e isso vai aumentando a autoridade do seu domínio.

Mas como saber se o seu conteúdo é relevante? Primeiro defina seu público-alvo, estude-o e veja sobre o que ele mais se interessa, assim, será mais fácil elaborar textos e definir as palavras-chaves que o interesse e o faça visitar o seu site, até mais de uma vez. Isso será um grande passo para aumentar sua autoridade na internet.  Não posso esquecer de te falar um detalhe importante: A cada novo conteúdo, seu site ganha uma nova página. Quanto mais páginas contendo assuntos interessantes, maior a chance de outros sites apontarem para o seu. E aí, o que acontece com sua autoridade, você já sabe né? Não para de aumentar…

 

# PILAR 9: EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO

Não se engane! A frase: “Experiência do usuário” ou UX, não está diretamente ligada ao usuário saber mexer no computador ou nas ferramentas de internet, mas sim, de como ele se comporta ao visitar e manusear o seu site.

Nesse pilar, volte sua atenção às pesquisas no Google, que será a porta de entrada para o seu site em diversas situações. Por esse motivo vamos citar a importâncias dos sites responsivos, já que hoje em dia quase todo mundo faz pesquisas da rua, do seu aparelho móvel e de como as buscas estão mais humanizadas, quase que conversando com o usuário.

Novos critérios de Page Ranking surgiram nos últimos anos, o Google avalia elementos como: Boa experiência de uso, baixos os número de plugins, se os padrões HTML são modernos como o HTML5 e se os layouts são responsivos, aqueles que se adequam a qualquer equipamento (computador, notebook, tablet, smartphones e iphones…) esse é um quesito de suma importância para o seu ranqueamento desde 2015. Sites obsoletos que se deformam ao saírem da tela de um computador, estão com a pontuação lá embaixo. Atualize-se!

Já ouviu o termo: Hummingbird (beija-flor, em inglês) em SEO? Pois bem, desde meados de 2013 o Google lançou essa nova versão do seu algorítimo de busca, isso porque ele é rápido e preciso, como o beijo de um beija-flor numa flor. O Hummingbird permite que o Google entenda o que você não falou, mas quis falar, aquela palavra com errinho de português ou um sinônimo e abrange a sua busca. Por exemplo, faça um teste aí agora, abra o Google e digite “laptop”, você vai perceber que além de resultados exatos ele também te mostrará opções de “notebook”.

Resumindo:

Preocupe-se com a modernização do seu site. Se você já tem, verifique se ele é responsivo, se não, só compre um se o tema for responsivo. Torne o seu site fácil de se navegar, atrativo, deixe uma boa impressão nos seus usuários afim de que eles voltem e indiquem seu site. Lembre-se do que eu disse acima, quanto mais apontamentos para o seu site, maiores as posições no Page Rank. Baixe o número da sua taxa de rejeição (quando o usuário entra e não fica no seu site) e aumente a sua taxa de conversão (quando ele entra, fica, visita as páginas, assina uma newsletter ou faz uma compra, por exemplo).

 

 

# PILAR 10: TRÁFEGO

De nada adianta produzir a página, o texto e o visual se pessoas não chegam até o conteúdo que você produziu. Tráfego para seu site é como oxigênio para o cérebro. Sem ele você MORRE!

Por este motivo é fundamental que você planeje bem como irá gerar tráfego para a página que está montando.  Tudo que falamos no decorrer deste artigo converge para esse tópico.

Para te ajudar nesta missão crucial resumimos algumas dicas que foram ditas nas explanações dos tópicos acima:

  • Utilize títulos persuasivos;
  • Divulgue seu conteúdo também nas redes sociais;
  • Facilite o compartilhamento do seu conteúdo. Deixe seu usuário espalhar o que ele leu e gostou, hoje uma curtida e uma “compartilhada” valem ouro nas redes sociais;
  • Cumpra com o que prometeu, o objetivo do seu site deve ser alcançado, encher linguiça não vale!

 

# PILAR 11: SITES QUE FALAM DE VOCÊ (backlinks)

Você já percebeu como alguém que é bem falado por uma ou várias pessoas fica com a credibilidade lá em cima?

Pense agora em um concorrente seu que é muito bem falado. A imagem que você tem dele provavelmente é boa, porque a opinião de muitas pessoas falando bem sobre ele colaboram para você ter este sentimento positivo.

Quando o assunto é site e primeira posição no Google o digital fica muito parecido com o mundo real.

Toda vez que algum site aponta um link para o seu, é como se o seu site ficasse mais importante, mais bem falado, mais pop!

Mas cuidado! Não saia pedindo para todo mundo que você encontrar apontar um link para seu site. Busque fazer isso com profissionais e sites que sejam extremamente relevantes ao assunto que você está abordando em uma determinada página.

Ex.: Se você é um treinador de cachorros e vende um treinamento específico para adestrar  filhotes, busque sites relacionados aos assuntos ligados a filhotes de cachorros para que eles possam apontar um link para sua página. PetShops, lojas que vendem comida ou acessórios caninos, hotéis caninos…Nada de pedir ao seu colega que é dono do SexShop digital para apontar um link para sua página de treinamentos caninos não é? Não tem nada a ver.

A regra fica simples assim:

Quanto maior a autoridade de quem está apontando o link para sua página em questão, mais pontos você ganha com o Google e melhor ranqueado fica.  

 

# PILAR 12: MÉTRICAS

Agora você deve estar se perguntando: Tudo bem, ok, segui todos os passos que me você me sugeriu e agora? Como saberei que meu site está sendo visitado, quem está me visitando, qual a minha taxa de rejeição? Aí eu te darei outra mágica do Google, o Analytics!

Nessa ferramenta você será capaz de ver gráficos, números e informações relevantes sobre seus visitantes, até o local de onde ele acessou o seu site você conseguirá ver.

 

Google-analytics-pagina-principal-min

Google Analytics – Sistema de métricas para o seu site.

 

Para entrar no Google Analytics você precisa ter uma conta do Google e se logar. Do lado esquerdo você verá um menu que te dará as seguintes opções: Painéis, Atalhos, Eventos de Intelligence, Tempo Real, Público Alvo, Aquisições, Comportamento e Conversões. Cada um desses menus abrirão submenus para uma análise mais ampla das suas métricas, assim será fácil colher os bons frutos do nosso passo-a-passo e melhorar o que ainda estiver com taxas em desacordo.

O Google também considera relevante o site que possui controle sobre suas métricas, principalmente quando essas métricas são medidas pelo Google Analytics.

Depois da conta criada, você precisará implantar um pequeno código no seu site. Se o seu site tiver sido construído em WordPress, basta instalar o Plugin Google Analytics, gratuito e disponível no repositório. Agora se o seu site não é o WordPress, fale com um profissional da área para implantar esta funcionalidade.

 

#CONCLUSÃO

Ufa! Quanta coisa não?!

Mas não se assuste! Eu sempre falo que na construção de um site, landing Pages ou hotsite, todos estes passos são seguidos, agora é uma escolha fazer da forma correta ou não.

Em uma campanha de link patrocinado, seja no Google Adwords, Facebook Ads, Twiter Ads ou outra modalidade, também existe muito trabalho a ser feito. Nos trabalhos de SEO não é diferente, é preciso muita dedicação, atenção e profissionalismo.

Ainda que neste artigo eu tenha lhe mostrado 12 pilares, existem tantos outros também relevantes, considerando que estes são atualmente os mais importantes.

 

 

Abaixo, segue um vídeo aonde eu falo sobre 5 pilares.

Esse vídeo foi gravado em uma Palestra Online Gratuita que ministramos aqui na Dorcas, e você pode participar dela efetivando sua inscrição aqui (clica aqui para conhecer mais).

 

 

Espero ter colaborado imensamente nos seus projetos e resultados, e me coloco a sua disposição para qualquer objeção e dúvida.

Agora, eu peço um grande favor para você, deixe um comentário aqui abaixo falando sobre este artigo ou sobre o que gostaria de ver nos próximos artigos.

Sucesso para nós!

Até o próximo artigo…

Grande abraço!

Joanes Junior

Especialista em SEO na Dorcas

 

 

Compartilhe
Share On Twitter
Share On Linkdin
Share On Youtube

Deixe um Comentário Sobre este artigo!